COMPARTILHAR

Uma das maiores preocupações dos usuários de aplicativos tem sido o controle de seus dados pessoais. Volta e meia, notícias sobre perda de informações – após ataques de hackers – são divulgadas na mídia. Mais importante, isso até já fez com que o dono daquela que é a maior rede social existente, o Facebook, precisasse depor em pleno Congresso Americano.

Alguns grandes problemas surgem quando aparelhos celulares que rodam Android fornecem aplicativos “obrigatórios” aos seus usuários. É uma verdadeira venda casada, prática considerada abusiva pelo código de defesa do consumidor brasileiro, mas que nenhuma autoridade toma providências.

Você já tentou apagar o Facebook de um celular? Aposto que não conseguiu. Mas o aplicativo segue mandando dados sobre sua movimentação na internet para pesquisa de dados dos usuários, independente de sua autorização, ou até mesmo conhecimento.

O usuário não tem escolha! Até mesmo aqueles testes “inofensivos” que te mostram como você seria se fosse homem/mulher, como seria se tivesse 40 anos a mais, ou qual o parceiro ideal para seu signo não passam de meras armadilhas de coleta de dados do usuário. Se você já fez, esteja consciente de que seus dados pessoais foram capturados.

Portanto, surge uma pergunta: pra quê eles coletam tantos dados? Saiba que estas informações são vendidas para análise de consumo, para saber o que funciona ou não na internet, ver o que você pesquisa – o Google é assumidamente, o maior “espião” de todos na internet – além de ofertar produtos de acordo com seus gostos.

Qualquer pessoa já sabe que, basta você pesquisar algum produto que, logo a seguir, você começa a ver anúncios deste item em absolutamente todo e qualquer site que você acesse. Portanto, será que o computador adivinha seu gosto? Ou ele usa sua movimentação na internet para ganhar dinheiro e te monitorar?

Deu medo, não foi? Em breve, estaremos vivendo realidade parecida com aquela mostrada no filme Minority Report, com Tom Cruise, onde ele caminha pelo metrô, shoppings e lojas, recebendo diversas ofertas de produtos direcionadas a ele diretamente. Chegam a falar seu nome – no caso, o nome do verdadeiro dono dos seus olhos – quando se dirigem a ele.



Uma pesquisa realizada na Espanha mostra que, além desta coleta de informações acontecer indiscriminadamente, ela não tem absolutamente nenhum limite ou controle. Não há nenhuma fiscalização ou regulação sobre isto em nenhum lugar do mundo. Ou seja, nada impede que os dados sobre você irem parar na mão de pessoas mal intencionadas.

Como Proteger Suas informações

Primeiro de tudo: esteja sempre de olho nos apps e escolha àqueles considerados aplicativos seguros. Não realize testes que peçam seus dados, tente não cadastrá-los utilizando o Facebook como facilitador. Em vez disso, tenha sempre um e-mail gratuito específico para isso – e use senhas diferentes em tudo o que puder.

Além disso, veja mais algumas dicas de segurança:

– Proteja suas contas no iCloud e no Google. Nada de cadastrar o Login para facilitar.

– Evite fazer jailbreak ou se tornar roteador em redes desconhecidas

– Prefira sempre os aplicativos oficiais, das lojinhas.

– Controle o que cada aplicativo pode acessar – nada de sair dizendo sim para tudo.

– Tenha sempre o backup atualizado, para evitar grandes perdas caso seja hackeado.

– Mantenha o sistema operacional atualizado. Cada atualização melhora a segurança do aparelho.

– Relate sempre o roubo de um aparelho. Lembre-se que seus dados estavam todos nele. Portanto, previna-se de alguma experiência dolorosa futura.

– Por fim, tenha certeza de que o Bluetooth é confiável. Você sabia que spywares podem ser passados através de redes abertas? Todo cuidado é pouco!

Tenha certeza que, se você seguir essas dicas, suas informações estarão seguras!

Deixe uma resposta